Casa Rosada: O cartão postal de Buenos Aires

A Casa Rosada é um dos passeios mais procurados por brasileiros quando visitam a Argentina. Sabe porquê?

A sede do governo argentino é realmente um lugar incrível. Muito além da sua interessante arquitetura, meticulosa e rica em detalhes, o lugar é enigmático pela sua história.

Edificada em Buenos Aires, capital, ela é um dos símbolos mais importantes do país.

Além disso, a Casa Rosada contribui para que a Plaza de Mayo fique ainda mais interessante.

O sentimento político intenso sempre foi uma marca do povo argentino e isso se reflete na história e na importância da Casa Rosada e da Plaza de Mayo.

Ambas se tornam uma só quando o assunto é política e direitos sociais, pois é lá que até hoje milhares de argentinos se reúnem para participar e exigir uma Argentina justa e complacente.

O tamanho da Casa Rosada é imponente e por isso vale reservar tempo para visitar as dependências, que são muitas.

Um pouco da história da Casa Rosada na Argentina

A Casa Rosada foi oficialmente construída no ano de 1595, após Don Juan de Garay fundar a cidade. Francisco Tamburini (também idealizador do Teatro Colon) foi quem projetou a obra.

E, Fernando Ortiz de Zárate foi designado oficialmente responsável pela obra, pois era o governador na ocasião.

O local serviu de fortaleza durante o período colonial, mas em 1850 um novo projeto de Edward Taylor previa a demolição de parte.

Mas, esta não foi até o fim o que influenciou para a Casa Rosada receber novos prédios e reformas.

Ao longo dos anos, novas obras foram sendo incorporadas ao prédio original ampliando os ambientes.

Que hoje são conhecidos como:

  • A Galeria Bicentenário de Patriotas Latino americanos: onde vários líderes da América são homenageados, inclusive o brasileiro Getúlio Vargas;
  • O salão branco: que presta homenagens a pessoas comuns, mas que contribuíram para a história do país, como artistas, intelectuais e jogadores;
  • Pátio interno, todo ornamentado com palmeiras;
  • Salón de la Mujer (homenagem as mulheres argentinas);
  • Salão dos espelhos;
  • Galeria sobre os presidentes;
  • Escritório onde fica a Presidência do país: restrito ao público;
  • Entre outros.

A lenda que justifica a cor rosa da Casa Rosada

Cenário dos discursos intensos de uma das maiores celebridades política do país Evita Peron.

E parte do Museu Histórico Nacional desde 1942, a cor rosa das paredes externas sempre gera curiosidade aos visitantes.

Dizem que o resultado da cor é a mistura dos tons (vermelho e branco) que simbolizavam as duas vertentes políticas – os federalistas e os unitaristas- da época.

De outro lado, a lenda fala que foram misturados dois elementos: a cal “branco” e o sangue de boi, e assim chegaram a cor típica do prédio.

Todos os ambientes internos são muito coloridos e ornamentados com objetos luxuosos e com muito significado.

Desde o balcão de discursos onde os líderes do país discursam, até a sala onde está o acervo de Evita Peron, cada detalhe chama a atenção.

O passeio a Casa Rosada retrata a essência do povo argentino

Turistas do mundo todo agendam com antecedência as visitações à Casa Rosada, e para os brasileiros não é diferente.

Normalmente solicita-se 15 dias de antecedência para agendamento do passeio às dependências da Casa Rosada, que vale lembrar é gratuito.