4 recomendações para reduzir suas despesas e economizar dinheiro antes do final de 2019

Faltam apenas dois meses para o final do ano, o que pode significar apenas uma coisa: a forte temporada de gastos está se aproximando. Entre os presentes de Natal, os arranjos da casa, as férias com a família e os ‘pequenos detalhes’ ocasionais que nos grudam no shopping, pouco a pouco o bônus e o dinheiro extra que recebemos terá terminando.

Recomendações para reduzir suas despesas e economizar dinheiro

Poupe dinheiro com e pague sua fatura Riachuelo em dia!

Mesmo que você não acredite, ao mudar alguns hábitos e realizar determinadas ações no seu dia a dia, poderá gerar economias substanciais no seu bolso, o que pode ser de grande ajuda para enfrentar o imprevistos no final do ano.

Você quer saber como reduzir suas despesas?

1.-Maus hábitos

Você já pensou em quanto dinheiro gasta em cigarros? Os fumantes ativos consomem uma média de 8 cigarros por dia. O que resulta em um consumo de 12 pacotes por mês, com um custo de aproximadamente R$ 200.00 em 2 meses.

Da mesma forma, ter hábitos como “o refrigerante” pode resultar em uma grande fuga de dinheiro. Uma pessoa chega a consumir em média 163 litros de refrigerante por ano, o que se traduz em quase 30 litros em 2 meses ou um desembolso de aproximadamente R$ 100,00 por mês.

Isso representa uma despesa considerável, levando em consideração os aumentos progressivos nos preços, sem contar os danos que eles causam no organismo.

Você está pronto para mudar hábitos?

2.-Adeus estresse, olá auto-compartilhado

Quem mora em grandes cidades (capital) passa uma hora e meia atrás do volante diariamente (de acordo com os dados do Waze), o que se traduz em duas coisas: muito estresse e grandes despesas. O custo da gasolina, que dependendo do desempenho do carro por ultrapassar os R$ 1000,00 ao mês. Isso sem contar os passeios de fim de semana.

Felizmente, já existem opções mais acessíveis e divertidas para se deslocar pela cidade. Um deles é o Waze Carpool, uma plataforma de viagens compartilhada que une as transferências diárias de pessoas em um único carro. Dessa forma, uma pessoa que gasta muito em combustível pode receber uma boa porcentagem como compensação por apenas compartilhar seu carro. Por outro lado, quem decide ser passageiro pode fazer viagens confortáveis, econômicas e divertidas todos os dias.

3.- Acredite, você não precisa de roupas novas

Todos gostamos de sair do shopping com as mãos cheias de sacolas. No entanto, você já pensou se realmente precisa de todas essas roupas da Riachuelo?

Em muitas ocasiões, renegamos no armário o que não gostamos mais ou acreditamos que não nos serve  mais e não perdemos a oportunidade de comprar algo novo nas lojas Riachuelo.

Podemos até vender algumas peças de vestuário que usamos muito pouco e que estão em boas condições, o que contribuem para o mercado de segunda mão. Ao fazer essa alteração, podemos gerar economias significativas em nossas finanças e até ajudar a reduzir o impacto no meio ambiente.

Perdeu ou danificou sua fatura Riachulo? Acesse essa página e veja como obter a 2 via da sua fatura Riachuelo atrasada.

4.- Diga-me onde você come e eu direi quanto você gasta

A comida é um dos maiores prazeres da vida. Quem não gosta de pedir um bom corte de carne ou comer uma massa fresca em um restaurante italiano? Embora esse seja um prazer que dificilmente podemos recusar, pode resultar em uma despesa muito grande, principalmente se o fizermos constantemente.

Se você sair para comer em restaurantes todos os dias, poderá pagar uma média de R$ 500,00 por semana. Agora, se você é um dos que prefere comprar comida, o custo diminui em até 250 e 450 reais, em média, semanalmente.

Talvez essa mudança possa custar mais trabalho, pois envolve preparar sua comida com antecedência e passar algum tempo na cozinha, mas sentirá o impacto na sua carteira (e na sua saúde!). Você se sentirá muito mais motivado.

Você ainda tem tempo para economizar e ter dinheiro extra para o final do ano! Você está pronto para fazer isso?

Pis 2020: Saiba quem tem direito e como receber

O PIS 2020 é o Programa de Integração Social, o qual é direito de trabalhadores contratados por pessoas jurídicas. O nome do benefício é muito divulgado, principalmente, na época de pagamento. No entanto, poucas pessoas sabem se podem ou não receber. Você também tem dúvida? Saiba se tem direito e como receber o PIS 2020, aqui neste artigo!

Quem tem direito ao PIS 2020:

Para pode sacar pis 2020 o trabalhador tem que estar cadastrado a 5 anos, no mínimo, além de ter trabalhado registrado na CTPS (Carteira de Trabalho) ao menos 30 dias no ano de 2018, recebendo o salário inferior a dois salários mínimos.

Caso o salário do trabalhador ultrapasse dois salários devido à hora extra ou comissão, o abono salarial não será concedido, mesmo que não receba dois salários mínimos. Mais um fator que conta para recebimento do benefício é se a empresa entregou o Rais (Relação Anual de Informações Sociais) para o Governo Federal.

Como e quando receber o PIS 2020

Se você já for correntista na Caixa Econômica Federal, o benefício será concedido diretamente na sua conta. Para os não correntistas, o saque pode ser realizado com o cartão cidadão e senha cadastrada nas lotéricas, ou, levando o seu documento de identidade com foto, CTPS e PIS em uma agência da Caixa na data estipulada pelo calendário PIS.

O pagamento é realizado de acordo com o mês de nascimento do cidadão, conforme datas retratadas na tabela a seguir:

Nascimento Correntista Caixa Não Correntista Caixa
Julho 23 / 07 / 2019 25 / 07 / 2019
Agosto 13 / 08 / 2019 15 / 08 / 2019
Setembro 17 / 09 / 2019 19 / 09 / 2019
Outubro 15 / 10 / 2019 17 / 10 / 2019
Novembro 12 / 11 / 2019 14 / 11 / 2019
Dezembro 10 / 12 / 2019 12 / 12 / 2019
Janeiro 14 / 01 / 2020 16 / 01 / 2020
Fevereiro 14 / 01 / 2020 16 / 01 / 2020
Março 11 / 02 / 2020 13 / 02 / 2020
Abril 11 / 02 / 2020 13 / 02 / 2020
Maio 17 / 03 / 2020 19 / 03 / 2020
Junho 17 / 03 / 2020 19 / 03 / 2020

Gostou do nosso artigo? Então siga o nosso blog, em breve traremos muito mais conteúdo de qualidade para os nossos leitores.

Saiba como usar o cartão de crédito sem sofrer com os juros

Antes de desbloquear o primeiro cartão de crédito e sair comprando de maneira parcelada os produtos que tanto deseja, todo usuário tem o mesmo medo, os juros!

Desta forma, tentando ajudar aos nossos leitores para que não venham a sofrer com as cobranças de tal taxa, preparamos este post com os principais cuidados que devem ser tomados pelo usuário dessa ferramenta.

Gaste somente com o que for consumir

Ter um equilíbrio entre receita e despesa é essencial para que não tenha problemas com o seu cartão de crédito. Lidar com a possibilidade de efetuar compras sem ter a necessidade de ter dinheiro em mãos é um grande exercício de responsabilidade e comprometimento. É claro que há momentos até mesmo de urgência em que contar com um dinheiro que ainda esta por vir é uma ótima opção, mas lembre-se de manter a autodisciplina e o equilíbrio ao optar por esse tipo de gasto.

Realize o pagamento de sua fatura de maneira correta

É necessário estar com a cabeça e o bolso preparados para as contas que são cobradas mensalmente de seu cartão de crédito. Pagar suas contas em dia é essencial para que não venha a sofrer com a cobrança de juros, sendo assim é importante que se planeje de forma a ter dinheiro para efetuar o pagamento integral de sua fatura, caso não consiga pagar o valor total, não deixe de se prevenir e pagar ao menos o valor estipulado como mínimo aceito. Porém, lembre-se que o pagamento mínimo não deve ser utilizado de maneira recorrente, pois embora ajude com relação aos juros, o saldo remanescente será acrescido ao valor devido na próxima fatura, podendo tornar este um saldo completamente fora da sua realidade financeira.

Nunca gaste um valor maior do que sua capacidade financeira. Planeje tudo que for gastar… Tudo mesmo! Com isso, você terá maior facilidade para atingir seus objetivos financeiros e uma vida mais estável. Por tanto, acompanhe seus gastos e não perca o prazo de pagamento das suas faturas, nem que para isso seja necessário ir atrás de uma segunda via da conta. O dono do site “Bons Investimentos”, Ricardo Cid, ensina a imprimir a fatura do cartão Carrefour pela internet neste link: bonsinvestimentos.com.br/fatura-cartao-carrefour-boleto-segunda-via

Lembre-se, caso não consiga exercer o pagamento total da fatura devido a algum motivo de emergência, não deixe de pagar ao menos o valor mínimo.

Esperamos que tenha entendido a importância de ter um planejamento financeiro, caso queira mais informações sobre cartão de crédito entre em contato, ficaremos felizes em ajudar.

Passos Para Emitir Nota Fiscal Eletrônica

Emitir Certificado digital
Emitir Certificado digital
Emitir Nota Fiscal Eletrônica

Devido à importância de buscar um padrão de excelência e satisfação nos serviços, saber como emitir nota fiscal eletrônica é essencial para a segurança dos negócios. 

Entre os fatores que tornam a nota fiscal eletrônica material para transações corporativas, está a comprovação do nível de renda da instituição. 

Com isso ajuda a promover medidas mais favoráveis ​​à sustentabilidade da empresa.

Com isso em mente, listamos 6 pontos-chave que merecem atenção especial ao emitir nota fiscal eletrônica

1. Certifique-se qual nota fiscal eletrônica deve ser emitida

Uma das primeiras coisas ao emitir uma nota fiscal eletrônica (NF-e) é verificar qual tipo de nota fiscal é exigida em sua área de especialização.

Portanto, é importante saber quais tipos de notas fiscais eletrônicas  existem e qual é o seu objetivo. 

Para os envolvidos no marketing de produtos, é correto emitir nota fiscal eletrônica, tributada sobre a rotatividade de bens e serviços, o ICMS. No caso de produtos manufaturados, o IPI deve ser indicado.

Além de reduzir a quantidade de papelada e mão-de-obra necessária para faturas impressas, aprender a emitir nota fiscal eletrônica ajuda a manter seu negócio funcionando sem problemas e também protege os direitos de seus clientes.

2. Registre-se na SEFAZ do Estado

Para emitir uma nota fiscal eletrônica, é necessária a permissão da Secretaria da Fazenda do Estado (SEFAZ). Isso garante que a Nota Fiscal Eletrônica seja reconhecida corretamente para aprovação subsequente.

Após esse registro junto a SEFAZ, a nota fiscal eletrônica pode ser liberada diretamente através do site desta agência. Assim, realizar o gerenciamento terá uma vantagem de aproveitar a praticidade de ter acesso ao documento na Internet.

Até empresas que cumprem as regras do Simples Nacional (SN) devem faturar. Mesmo se não houver tributação direta de impostos em cada transação, a criação da nota fiscal eletrônica serve para confirmar as atividades da sua empresa.

Inovação digital
Inovação digital

3. Certificado digital

Hoje, a certificação digital é uma das maiores conquistas na produção de documentos corporativos. Além da praticidade, que permite assinar documentos a qualquer hora e em qualquer lugar, um certificado digital fornece a força legal de uma conta eletrônica.

Com a assinatura digital, é possível a confirmação da autenticidade da nota fiscal eletrônica, além da prova que foi sua instituição que emitiu esta nota. 

Outro ponto importante é que a adoção dessa ferramenta mostra que sua empresa segue as tendências oferecidas pelas inovações tecnológicas e está crescendo a cada dia.

Para comprar um certificado digital, basta encontrar uma autoridade de certificação. Uma instituição confiável e devidamente credenciada deve ser procurada pela Receita Federal (RF) e pela Infraestrutura de Chave Pública Brasileira (ICP).

4. Registre corretamente mercadorias e clientes no sistema

Os recursos fornecidos pelos meios digitais suportam uma variedade de tarefas rotineiras. Também inclui gerenciamento de inventário, pois produtos e clientes devem ser registrados corretamente. 

Manter a organização nesses registros e monitorar os dados e informações que devem ser incluídos na nota fiscal eletrônica é um pré-requisito para emitir nota fiscal eletrônica de forma eficiente.

Para minimizar a probabilidade de erros na preparação e emissão de notas fiscais eletrônicas, é ideal usar um sistema de gerenciamento específico para esse tipo de serviço. 

A adoção dessas funções simplifica as operações contábeis e as tarefas rotineiras. Nesse sentido, essa medida promove a produtividade maximizando os resultados.

5. Verifique se as informações são válidas

Para garantir a precisão das informações contidas na nota fiscal eletrônica, é recomendável verificar cuidadosamente a exatidão de todos os dados.

Mesmo se você tiver a oportunidade de editar qualquer erro possível, o ideal é emitir notas fiscais fiáveis. Lembre-se de que uma nota fiscal eletrônica com defeito não será de forma alguma aprovada pela SEFAZ.

Diante disso, você deve ter muito cuidado ao preencher esses dados e ter um programa que ajuda na liberação da emissnao da nota fiscal eletrônica. 

Emitir nota fiscal eletrônica representa sua empresa em várias situações. Em certo sentido, eles simbolizam a imagem, a responsabilidade e a missão defendidas por sua organização.

6. Armazenamento da nota fiscal eletrônica

Ao finalizar da emissão da nota fiscal eletrônica, arquivos com extensão

XML e DANFE serão gerados, esses são definitivamente importantes, mas com funções distintas. 

O DANFE deve ser impresso e enviado ao cliente que recebe a mercadoria, pois é uma imagem gráfica e confirmação da emissão da nota fiscal eletrônica. 

O XML deve ser armazenado pela empresa por 5 anos a partir da data de seu lançamento, para possível apresentação futura, se necessário, pela inspeção do estado.

Como vimos, emitir nota fiscal eletrônica pode ser uma tarefa simples se você seguir várias etapas corretamente. 

Igualmente importante é a observância de recursos tecnológicos, como o uso de um certificado digital, que ajuda a otimizar todos os processos necessários para melhorar a qualidade do serviço e a eficácia do gerenciamento de documentos.

5 coisas essenciais que você deve saber antes de empreender em semijoias

Com as altas taxas de desemprego no Brasil e o alto custo de vida, é normal que cada vez mais mulheres busquem formas de ganhar uma renda extra. Por isso, se você é uma mulher comunicativa, gosta de ser independente e está pensando em empreender em semijoias para ter sua autonomia financeira, confira o artigo de hoje.

Descubra com nossas dicas tudo o que você precisa saber antes de empreender!

  1. Seja adaptável às tendências

O primeiro passo para se tornar uma boa revendedora de semijoias atacado é ser adaptável às tendências, estar disposta a mudar de acordo com a moda.

Isso porque com o fenômeno das blogueiras, influencers ou mesmo das celebridades de TV, provavelmente algumas de suas clientes estarão atentas a todos os acessórios da moda, ansiosas pelas novidades.

Você deve estar preparada para ficar sempre um passo à frente e ter as peças que suas clientes desejam.

Por isso, acompanhe diariamente as notícias do universo feminino e o que está em alta na moda.

  1. Conheça um fornecedor de confiança

Para empreender em semijoias, é essencial ter um fornecedor de confiança, pois a responsabilidade serpa completamente sua em qualquer atraso na entrega das peças.

Lembre-se que suas clientes entram em contato diretamente com você e não com o fornecedor.

Por mais que você estreite o laço com todas elas, suas clientes se importam em receber o produto no prazo definido e às vezes outras pessoas podem estar dependendo delas (como em caso de presentes, por exemplo).

Por isso, ao entrar em contato com um fornecedor, leia todas as exigências do contrato e negocie sobre os prazos de entrega.

É importante ficar atenta até as formas de pagamento e alternativas para que nada se torne um empecilho e te dê problemas em cima da hora.

  1. Atendimento personalizado

O maior erro das iniciantes no empreendedorismo feminino e principalmente, na revenda de semijoias, é achar que basta colocar as joias na caixa de mostruário e ir às casas das clientes com o mesmo discurso de vendas montado.

Um dos segredos de garantir seu faturamento frequente é manter um atendimento personalizado às clientes.

Isso significa conhecer cada cliente, seu hobbies, personalidade e hábitos.

Assim você saberá que é mais adequado oferecer um brinco de argola grande para uma jovem de 19 anos que frequenta baladas do que à uma cliente mais velha e caseira, por exemplo.

Com o tempo, ao conhecer cada cliente, será mais fácil vender vários acessórios para uma mesma pessoa.

  1. Cuidado com a flexibilidade de horários

Um dos principais diferenciais que as novas empreendedoras de semijoias buscam é a flexibilidade de horários, a autonomia.

Porém, antes de entrar nesse ramo é necessário estar atenta a isso, pois muita autonomia pode ser conflitante.

Planeje sua agenda de atendimento sempre em horário comercial e evite entrar em contato com as clientes no período da noite.

Não se sinta atraída pelo glamour da flexibilidade de horários e acabar acordando muito tarde também, pois suas clientes dependem de você.

  1. Antecipe sua clientela

Por último, não se esqueça que antes mesmo de começar a revender semijoias, você deve ter uma cartela de clientes para cobrir seus investimentos iniciais.

Por isso, observe quem pode ser sua futura clientela e comece a conversar com amigas, colegas de trabalho e familiares.

O seu círculo de amizades tem grande potencial de vendas, principalmente porque são pessoas que têm confiança em você.

Informando as pessoas pelo WhatsApp, Instagram e Facebook, suas potenciais clientes ficarão ansiosas pela novidade.

Gostou das nossas dicas do que precisa saber antes de empreender com semijoias? Então deixe seu comentário!